Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Querem falar comigo? Têm propostas decentes para me colocar?

Enviem-me um email:

1417305261_Streamline-58-128.png

 


Acredito que a pergunta não tenha uma resposta consensual mas... depois de perdermos um ente-querido temos quanto tempo de luto com choro fácil?

 

Uma colega minha perdeu o pai o ano passado. Parecendo que não já passou mais de meio ano. Acredito que o luto será eterno e não consigo, nem quero, colocar-me no lugar dela. O que acontece é que sempre que se diz "morreu" ou "morte" as lágrimas saem-lhe dos olhos quase de imediato. Já passaram cerca de 9 meses e ainda ontem se desfez em lágrimas porque eu contei que em Portugal, uma criança nasceu, 15 semanas depois da mãe ter tido morte cerebral. Ninguém reagiu assim... Só ela. Entendo que a história seja comovente mas nenhuma outra pessoa chorou ao ouvir a história. Só ela. Aqui há uns tempos o avô de uma amiga minha morreu e eu liguei para a minha amiga para lhe dar as condolências. Disse em conversa, naturalmente, que tinha ido ligar a uma amiga minha que tinha perdido o avô. Ficou lavada em lágrimas.

 

Felizmente a vida tem sido muito simpática para comigo e até ao dia de hoje ainda não perdi pessoas muito próximas (*bater três vezes na madeira não vá a vida lembrar-se que de facto tem sido muito generosa para comigo*) mas quanto tempo é que demora este luto em que se está, aparentemente bem, mas o choro é muito fácil?

 

Juro que ontem quando contei a história e a vi chorar fiquei de rastos. Pensei: lá meti eu o pé na argola outra vez. Mas este choro fácil tem de acabar algum dia. Não tem lógica que tenhamos de evitar, para sempre, conversas onde se fala de morte. É que estamos a ser obrigados a abolir conversas sobre o dia a dia e outras banais como "Ai eu via muito aquela série chamada Entre Vidas, em que a personagem principal via mortos e os ajudava a seguir para a luz" ou "Cansei-me de Anatomia de Grey porque todas as personagens principais morriam!".

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:30



11 comentários

Imagem de perfil

De marrocoseodestino a 10.06.2016 às 11:25

Lido com a morte com frequência uma vez que trabalho com idosos e apesar de estar habituada a morte é algo que arrepia. Mesmo aquelas em que acho que deveriam partir devido ao grande sofrimento.
Agora em relação a mortes de pessoas chegadas apenas perdi a minha avó. Tinha uns 12 anos e recordo-me bem desse dia. Recordo-me dela com saudade, mas aquela dor enorme foi ficando mais fraca.
Acredito que a tua amiga com o tempo e lá está não é igual para todos, irá sentir a dor menos dolorosa.
Sem imagem de perfil

De Liliana Neves a 10.06.2016 às 17:41

Olá!
O problema da sua colega é que ela ainda não fez o luto, mesmo tendo passado esses meses todos. A solução para ela era procurar ajuda de um psicólogo para ultrapassar essa perda. Iremos sempre sentir a falta dos entes queridos, contudo chorar sempre que algo do género acontece a alguém por perto, é sinal que precisa de uma ajuda para superar a sua dor.
xoxo
LN
Sem imagem de perfil

De anita a 16.06.2016 às 16:13

Cada um é como cada qual.
Não somos todos iguais e nem sentimos todos igual.
Temos de respeitar o tempo de cada um.
Imagem de perfil

De Girl About Town a 17.06.2016 às 18:36

O meu tio morreu há mais de dois anos e sempre que se fala nele é preciso um esforço muito grande para não chorar.
O meu padrasto suicidou-se há mais de um ano e ainda me é muito difícil lembrar dele sem ficar com a lágrima no olho.
Imagino que nem todos sejamos assim, mas também acho que percebe melhor estas reacções quem já perdeu alguém.
Imagem de perfil

De Fátima Bento a 17.06.2016 às 19:04

Existe, de facto, uma "medida"- no entanto não nos devemos esquecer que é um indicador, e não uma regra estática - um ano. Se após um ano a tua amiga continuar com essas reações, então deverá mesmo recorrer a ajuda médica - podes ser o médico de família, se esta se sentir mais à vontade não sendo um médico especializado em problemas do foro comportamental.
Passado um ano(em média), a continuar, esse quadro indicará uma depressão, algo que não é de todo estranho,dado que perdeu uma pessoa muito importante. E o médico de família poderá indicar-lhe um psicólogo e/ou prescrever-lhe um anti-depressivo de baixa dosagem.
Por enquanto,é normal que ela tenha reações aparentemente exageradas... parece-me que ainda não passou o estágio de aceitação, que é o último das fases do luto, estando neste momento no de depressão. Que é espetável e normal,neste momento.
Os amigos podem ajudar estando presentes, dando apoio,e não fugindo aos assuntos que a perturbam: ela terá de aprender a lidar com a dor para seguir em frente.
Um beijinho para ti e ara a tua amiga.
Imagem de perfil

De Joana a 17.06.2016 às 20:04

Acredito, pelo que já vivi com o falecimento do meu sogro, que o tempo ajuda em parte, mas há dores que nunca se ultrapassam. Passaram já mais de 3 anos e meio e o meu marido chora por vezes do nada, com saudades, e sem que nada aparentemente tenha sido dito ou associado à partida. Acho que é uma dor muito cruel, a pior que podemos viver em vida.
Imagem de perfil

De As Tifus a 17.06.2016 às 21:34

Olá!
A morte é sempre um tema delicado, não só porque para muitos é um tema arrepiante e triste, mas principalmente porque há sempre alguém que perdeu alguém.
Eu já perdi pessoas que gostava muito. Claro que lidar com a morte na minha profissão e ver a morte como algo que vai acontecer, que calha a todos, que é natural, ajuda-me.
Agora, para além de lidar com a morte na minha área, também tenho de estar atenta aos vivos que sofreram a perda e ver até que ponto eles precisam de ajuda porque o processo de luto deles já não é saudável.
Cada um demora o tempo que tiver de demorar. Mas o facto é que tem de se lidar com o assunto, o ideal é que seja o mais precocemente possível. E porquê? Porque a pessoa pode chegar a uma fase em que o luto dela já é patológico.
Por isso, o meu conselho é: não evites falar desses assuntos. Fala até mesmo com ela e aconselha-a a procurar a ajuda de alguém que a ajude a ultrapassar a perda.
Beijinho*
- C
Imagem de perfil

De Mi a 17.06.2016 às 22:40

Um dia o choro passa...não há outro remédio, mas leva tempo.
Obrigada, foi muito inspirador e reconfortante.
Beijinhos,
Mi
Imagem de perfil

De Us4all a 18.06.2016 às 09:15

As vezes esse choro fácil dura a vida toda, mais ou menos resguardado do olhar alheio mas é eterno quando se ama profundamente quem partiu.

Us4all.blogs.sapo.pt
Http://facebook.con/us4all/
Imagem de perfil

De LadyVih a 20.06.2016 às 22:22

A morte... algo tão natural e tão pouco aceitável!

Comentar post


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor




Sem Título.png


Sem Título.png

 



Favoritos

SempreNaMoa.png

1911640_737086296312716_478969028_n.pngmt.png